DSC_0421

Cinque Terre

A minha vontade de conhecer Cinque Terre era tão grande que estive na região em pleno inverno, numa viagem que fiz com amigas há cerca de 15 anos. Queria voltar no verão para  ver aquelas cores acesas e apagar da memória aquela sensação do vento gélido de fevereiro. Ah, quanta diferença em visitar esse pedacinho da Itália em dias ensoladoros! Com menos de 5 mil habitantes, esta região que tanto fascina e encanta é constituída por 5 vilarejos de pescadores com casinhas coloridas incrustadas uma ao lado da outra nas montanhas da riviera da Ligúria.

Cinque-Terre

Para quem dificuldade de locomoção e para quem estiver com carrinho de bebê leve em consideração que visitar os burgos de Cinque Terre significa subir e descer ladeiras e fazer degraus

É um paraíso natural que recebe 2,4 milhões de turistas por ano atraídos pelo charme desses burgos que constituem a meta mais cobiçada da Ligúria, vizinha das regiões italianas da Emília Romanha, Piemonte e Toscana.  Em 1997 a região de Cinque Terre, província de La Spezia, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Por estar a apenas 2 horas de trem de Firenze, é muito comum que turistas escolham fazer um bate-volta para visitar a região, o que sinceramente não recomendo, pois acho cansativo e muito corrido para explorar uma região tão peculiar.  Se escolher visitar a região na alta temporada, isso é,  entre junho e agosto, prepare-se para enfrentar a multidão de turistas que invadem os burgos. O turismo de massa é devido também aos cruzeiros marítimos que aportam na costa da Liguria nessa época.

 

Os 5 burgos que constituem a região de Cinque Terre

 

riomaggiore

Riomaggiore– Saindo de La Spezia, a primeira parada é Riomaggiore, portanto,a primeira parada para quem chega de barco. Suas casinhas coloridas seguem o esquema de construção de casas-torres e são todas coladinhas umas às outras. Na parte alta fica a Igreja San Giovanni Battista, construída em 1340.  Segundo a tradição, o burgo é do século 8 e teria sido fundado por um grupo de refugiados gregos. Em Riomaggiore começa a Via dell’Amore, que vai até Manarola, uma estrada de cerca 1 quilometro que se percorre a pé, para quem tem fôlego e quer admirar a esplêndida paisagem mas que desde 2012 foi fechada por motivos de segurança com previsão de reabertura em 2019.

 

cinque-terre

Aqui a gente vê Manarola e Riomaggiore, à direita

Manarola – Formada por casas-torre, é um vilarejo charmoso, pequeno mas bastante íngreme, e com menos fluxo de turistas.  Em sua praça estão concentrados os prédios religiosos, como a igreja de São Lorenzo em estilo gótico do ano de 1338, o oratório del Disciplinati e a Torre Campanária.

 

Corniglia

Corniglia é a 3ª cidade, ela fica no meio entre as outras2. O menor dos vilarejos é Corniglia que também não há praia e nem marina. É o que recebe menos visitantes

Corniglia–  suas origens são da época romana. Com casas mais baixas, é o menor dos burgos e não tem acesso ao mar. Para chegar  até o topo,  você  vai precisar encarar cerca de 382 degraus  a partir da estação ferroviária (pois Corniglia não tem estação central).  Fica no alto de um penhasco de onde o pôr do sol é um espetáculo imperdível e de onde é possível admirar todos os outros 4 burgos. Corniglia é o único vilarejo onde as embarcações não param.

 

vernazza

Vernazza – Foi fundada no ano 1000. Já foi a mais próspera das cidades que constituem a região, possui construções arquitetônicas importantes como pórticos e arcadas. Prepara-separa o maior sobe e desce: Vernazza é cheia de ladeiras íngremes e estreitas. É entre os burgos mais populares e requisitados. Sua rua principal é repleta de lojinhas de souvenires e restaurantes. Uma das atrações da cidade é a igreja de Santa Margherita , em estilo românico.  No topo ruínas fica o Castello dei Doria,  símbolo da importância econômica do vilarejo e de onde a vista é espetacular!

castello-dei-doria

A deslumbrante vista que temos do Castello dei Doria (entrada a pagamento)

 

Cinque-terre

Estava quente mas nao tomei banho. Os burgos estavam lotados! O auge da temporada é entre maio e agosto

Monterosso al mare – é o maior dos 5 vilarejos e o mais plano, portanto, para quem viaja com crianças e pessoas com dificuldade de locomoção  (ou que simplesmente querem evitar as escadarias), passa a ser a opção mais interessante. Para quem curtir praia, Monterosso é a mais indicada, pois sua praia é extensa e tem grande área com areia. Vale ressaltar que as praias da região são com muita pedra e pouca areia. Nas colinas do vilarejo são cultivadas uva e azeitona.  Devido à extensão das praias e ao maior número de estruturas hoteleiras, é a mais turística e cobiçada de todas as 5 cidades. É dividida em duas: a parte nova e velha.

 

DSC_0454

DSC_0457

 

Cinque-Terre

Monterosso é o local mais apropriado para quem quer curtir praia, praticar esportes e dar um bom mergulho!

 

cinque-terre

Porto de em La Spezia de onde saem as embarcações

Onde dormir

Eu me hospedei em La Spezia e achei excelente essa opção. A cidade é tranquila, com boa estrutura e com acomodações a preços razoáveis.  Dali partem trens e embarcações para todos os vilarejos de Cinque Terre. Optei em visitar os burgos de barco, que saem do porto de La Spezia.

 

cinque-terre

A vantagem de visitar de barco é poder apreciar os burgos do mar… mas para quem visita pela primeira vez e não tem muito tempo, o trem é mais prático

Come chegar 

Barco – Entre março e outubro diversas embarcações conectam La Spezia, Levanto e Portovenere até todas as 5 cidades de Cinque Terre. Você pode escolher uma dessas cidades como base. A maioria dos passeios de barco permite que você pare em qualquer uma das cidades, portanto, você tem condições de visitar as 5 no mesmo dia.  Para adquirir os bilhetes das embarcações basta se dirigir aos guichês que ficam no próprio porto. Dependendo da época do ano, chegue 1 hora mais cedo do horário em que pretende partir. Para ver os horários e opções de itinerários, clique aqui.

Trem – Caso seja a sua primeira viagem, acredito que o trem seja a melhor opção pois é bem mais prático que barco. Eu visitei a primeira vez de trem e a segunda de barco. Todos os 5 vilarejos são servidos de estações ferroviárias.  Existe o trem Cinque Terre Express que faz o trajeto La Spezia a  Levanto parando em todas as 5 cidades. Serviço disponível das 7.55 às 20:10 diariamente com 3 trens por hora em cada direçao. O bilhete custa 4 euros para cada trecho. O  percurso entre cada uma das cidades dura poucos minutos varia de 3 a 10 minutos.

Cinque Terre Card –  é um passe que custa 15 euros e dá direito de viajar de trem pela região durante 1 dia. E como você vai passear de um local para o outro, sai bem mais em conta do que pagar por cada trecho separadamente.

Carro -desaconselho porque é praticante impossível conseguir estacionamento e é proibido entrar nas vilas de carro. Descarte a possibilidade de ir de carro.

Avião – os aeroportos internacionais mais próximo são os de Pisa (84 Km)  e Gênova (112 Km).

 

Quando visitar – Apesar da lotação, melhor época para visitar Cinque Terre é entre meados de abril até início de outubro. Os meses mais cheios são de final de maio até agosto. Se visitar nesse período prepare-se para a superlotação. Se quiser aproveitar com menos gente chegue bem cedinho, antes das 10 horas ou depois das 16 horas, horário que termina a visita de quem está fazendo cruzeiro.

Bate-volta saindo de Firenze–  não aconselho sair de Firenze para fazer bate-volta pois não sou fã de passeios apressados onde temos a sensação de que estamos perdendo algo importante quando visitamos uma atração. O trajeto dura cerca de 2h30, portanto, considere que você vai passar mais de 5 horas no trem.  Caso você queira muito visitar Cinque Terre e não tem outra opção, acorde bem cedinho e pegue o primeiro trem saindo de Firenze e programe-se para voltar à noite. Se a sua viagem é nas temporadas de primavera e verão, terá a seu favor o horário de verão,  quando costuma escurecer por volta das 21 horas.

Importante: os valores mudam de acordo com a estação do ano. Antes de programar sua viagem aconselho visitar os sites de transportes e serviços.

Distâncias

Firenze – 188 Km

Pisa- 117 Km

Milão – 227 Km

Gênova- 100 Km

 



About

A minha paixão pela comunicação e pelo turismo é herança dos meus pais. Adoro viajar para observar e vivenciar as diversidades culturais. Depois que me formei em Jornalismo, passei longa temporada em Londres, um curto período nos Estados Unidos e atualmente vivo em Florença, com meu marido e nossos dois filhos. Desde 2005 sou retail na Ermenegildo Zegna. Busco sempre ver o lado positivo em todas as coisas e prefiro ter por perto aqueles que, como eu, dão mais valor às pessoas do que às coisas materiais.


'Cinque Terre' have 4 comments

  1. 10 de maio de 2017 @ 19:29 Joyce Diana Drummond

    Ola Denya, como vai? Estive visitando Cinque Terre no mês passado com meus sogros que vieram do Brasil para nos visitar. Saímos de carro de Firenze e passamos o dia lá, fizemos um bate e volta. Estacionamos em La Spezia e pegamos o trem para as Terre (o Card de 1 dia na verdade custa 15 euros!).
    Estava querendo muito conhecer a região que realmente é magnífica! Quando o trem saiu do túnel e eu tive a visão daquele mar azul turquesa, confesso que saiu um palavrão da minha boca sem querer! É tudo muito deslumbrante, dos artesanatos à comida. Mas confesso que não teria pique para ir em alta temporada!
    Enfim, chegando lá fiquei pensando que se é viável ir de carro até Monterosso, estacionar por lá e comprar o Card lá. Bem, não consegui ver essas informações quando fui, então se você puder me dar essa dica eu te agradeço! Um grande abraço!

    Reply

    • 11 de maio de 2017 @ 09:49 Denya Pandolfi

      Oi Joyce,
      Tudo joinha, e vc? O valor do card muda de acordo coma estação do ano, vou até especificar isso no post de forma mais clara ;). Ah, como é bom quando a gente tem essas surpresas durante as viagens! Essa região é um deslumbre mesmo!
      Sobre estacionar em Monterosso: dentre os vilarejos é o que oferece melhor possibilidade para estacionamento mas são bem caros. E caso vc escolha ir em baixa estação pode ser que dê sorte de encontrar vaga. Mas tem sempre a possibilidade de ir até La Spezia e de lá pegar o trem.
      Abraço pra vc e caso anime de voltar conte como escolheu fazer 🙂 Denya

      Reply

  2. 8 de junho de 2017 @ 00:47 Maria Glória D'Amico

    Oi Denya!
    Eu conheci as 5 Terre, foi um sonho que realizei. Também fiquei hospedada em La Spezia. Mas entre tantos dias maravilhosos, Portovenere foi inesquecível. Vale muito, mas muito conhecer.
    Beijinhos.

    Reply

    • 8 de junho de 2017 @ 08:56 Denya Pandolfi

      Oi querida,
      Também estive em Portovenere e achei uma beleza! Vou falar em breve sobre essa lindeza de cidade, considerada a 6ª 😉 Super beijo e um lindo dia! Denya

      Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.