santa-maria-novella

Como é morar numa cidade onde as pessoas passam férias

morar-firenze
“Ah, como você tem sorte em viver em Firenze!”. Isso é o que falam turistas e apaixonados pelas belezas dessa nos comentários deixados nas mídias sociais do blog (e muitas vezes me questiono sobre o quão bom realmente é viver aqui. Mas isso é assunto pra outro post, prometo que ele vai sair, rs). Antes de mais nada, é preciso estabelecer a diferença entre passar uma temporada na cidade – e ver tudo com os olhos de turista – e viver aqui. Mas enfim, se eu gosto de morar aqui? Sim, adoro!
morar-onde-as-pessoas-passam-férias
Eu nasci em Linhares, no interior do Espírito Santo, onde morei até a minha adolescência (até quando comecei a frequentar a universidade em Vitória, na capital).  Apesar de sempre ter viajado muito, o meu estilo de vida era em lugares mais tranquilos e pouco turísticos. Foi a minha temporada de 1 ano em Londres (há 20 anos!) que me expôs a um ritmo mais frenético numa cidade cosmopolita e super turística, mas com estrutra bem diferente da que encontramos aqui.  Até que conheci meu marido  e resolvemos viver em sua cidade natal.  Há mais de 10 anos fui adotada por Firenze.
duomo

O turismo de massa causa um impacto diferente de acordo com a estrutura de cada cidade. Os aspectos que enumero aqui em Firenze não seriam válidos se reportados à uma cidade turística de outro país

firenze
Com 378 mil habitantes, a capital do Renascimento é um dos destinos  mais visitados da Itália. Vocês não podem imaginar como a cidade fica insuportavelmente lotada entre abril e setembro! Suas praças, ruelas e museus são invadidos por viajantes de todo o mundo em busca de descobrir os tesouros artísticos e arquitetônicos dessa linda e fascinante cidade.
ponte-vecchio

Para quem não conhece Florença: assim como muitas cidades italianas, o centro histórico é limitado ao tráfego de veículos e para atravessar a cidade precisamos dar uma volta enorme. Em horário de pico ou quando acontecem eventos na cidade é um verdadeiro martírio cruzar a cidade de carro. A Tramvia (trens elétricos) começou a funcionar em 2010 e a cidade ainda está em obras para a construção de outras linhas que ligarão, por exemplo, o aeroporto ao centro

No ano passado a cidade registrou mais de 9 milhões de visitantes. Turismo traz dinheiro para a cidade, além de desenvolvimento e crescimento. Mas vocês podem imaginar como é morar numa cidade onde as pessoas vêm passar férias? Neste post enumero 7 aspectos considerados negativos por quem vive  numa cidade tão turística como Firenze:

1- dificuldade de caminhar pela ruas 

A cidade está sempre lotada! Caminhar pelas calçadas e praças em determinados períodos do ano às vezes é tarefa árdua.  As pessoas param a cada esquina e nas calçadas para tirar fotos obstruindo a passagem. Já repararam como tem turista desligado que não percebe que as outras pessoas não têm tempo a perder? Eu busco ser muito paciente mas vejo constantemente os locais bufarem quando não conseguem “furar o cerco” de turistas.

2- restaurantes lotados

No centro histórico não tem muito dessa coisa de restaurante apenas frequentado por locais, portanto, até mesmo aquelas trattorias mais tradicionais, reduto dos florentinos, vão estar cheias de turistas. E se na sua pausa de almoço você se depara com fila de espera no restaurante o jeito é partir para o plano b: mangiare un panino al volo (comer um panino rapidinho). De vez em quando até mesmo para conseguir um simples sorvete você precisa ter paciência para esperar na fila.  E o mesmo para as farmácias, mercadinhos e bodegas do centro.

3-  depredação dos bens culturais e degrado

Não são apenas turistas que sujam e depredam mas muitos episódios aqui na cidade tiveram o envolvimento de estrangeiros. Estátuas já foram quebradas e muros foram pichados e riscados.  Com o fluxo tão grande de turistas o risco de danos ao patrimônio cultural é grande.

4- falta de cordialidade nos estabelecimentos

Não saberia dizer se é devido ao grande número de turistas que em alguns locais a cordialidade e a gentileza passam longe ou se essa é uma característica dos italianos daqui (que acabou “contaminando” italianos de outras regiões e trabalhadores de outros países que acabaram adquirindo esse jeitinho tão seco). Quem atende os turistas nem sempre compreende a dificuldade que eles têm de compreender e de se expressar. Óbvio que turista não tem pressa e leva tudo de maneira mais light, enquanto os locais estão a mil por hora para fazer número e faturar mais. Já vi cenas de estabelecimentos que tratam quase com grosseria alguns turistas. Acho um absurdo e fico chateada demais.

5- trânsito lento

As ruas do centro histórico de Firenze são estreitas e muitas são limitadas ao tráfego.  De vez em quando nem de vespa e nem mesmo de bicicleta é possível passar.

6- preços inflacionados

Os preços das tarifas dos hotéis e restaurantes da cidade são altos. E paga-se alto quem quiser ter o privilégio de acordar e deparar-se com o Duomo ou admirar a ponte Vecchio durante a refeição.

7-  dificuldade com transporte público ou taxi

O transporte público aqui não é essa maravilha! Há poucos anos foi implantado o tram (bondinho)  o que melhorou consideravelmente, só que muitos trechos ainda estão em construção e a cidade virou um canteiro de obras. E a frota de taxi na cidade é super limitada. Quando acontecem feiras e eventos na cidade às vezes é impossível conseguir taxi.
Contra essa lista com 7 defeitos existe uma relação enorme sobre como é bom morar aqui!  E que fique bem claro: turista é sempre bem-vindo! E não acho que seja apenas porque contribui para gerar riqueza, mas porque possibilita a quem os recebe de ter contato com outras culturas e valores. E isso é muito enriquecedor para nos ajudar a compreender um pouquinho as diferenças que existem nesse mundo em que vivemos.
 Ainda não acompanha o blog nas mídias sociais? Aqui estão  😉 :

Compre aqui o seu bilhete e evite filas:

Clicando aqui você poderá adquirir o ingresso que dá direito a visitar o Museu Uffzi, Palazzo Pitti e Giardini di Boboli saltando as filas.

Posts que podem interessar:

Eataly

Amor à distancia

Turistas pagam mais caro para consumir

Pratos típicos da Toscana

O conceito do slow travel

Os oratórios nas esquinas de Firenze

Agroturismo, uma forma simples e autêntica de hospedagem 

Cappella Brancacci e as obras de Masaccio

Refeições ao ar livre em Firenze

Mercado Central de Firenze



About

A minha paixão pela comunicação e pelo turismo é herança dos meus pais. Adoro viajar para observar e vivenciar as diversidades culturais. Depois que me formei em Jornalismo, passei longa temporada em Londres, um curto período nos Estados Unidos e atualmente vivo em Florença, com meu marido e nossos dois filhos. Desde 2005 sou retail na Ermenegildo Zegna. Busco sempre ver o lado positivo em todas as coisas e prefiro ter por perto aqueles que, como eu, dão mais valor às pessoas do que às coisas materiais.


'Como é morar numa cidade onde as pessoas passam férias' have 13 comments

  1. 28 de março de 2017 @ 22:00 TELMA VERISSIMO

    Boa tarde,

    Adorei seu blog, pois estou viajando dia 18/04 para Europa..estou curtindo tudo que você passa de conhecimento.

    Reply

    • 31 de março de 2017 @ 11:16 Denya Pandolfi

      Oi Telma, muito obrigada pela mensagem! Volte sempre por aqui 😉 E uma excelente viagem dia 18/4! Abbraccio, Denya

      Reply

  2. 2 de abril de 2017 @ 16:06 Katia Holanda

    Oi Denya? , adorei a matéria e acredito que vc fez ótimas observações , tb moro em uma cidade bem turística -Washington DC – e realmente entre Maio e Setembro tudo fica mais complicado e olha que nos temos uma boa estrutura para o turismos . Tenho planos de conhecer Ferenze ? Mais meus planos são p outubro ! Muito obrigada pelas ótimas dicas . Abraço ?

    Reply

    • 2 de abril de 2017 @ 21:54 Denya Pandolfi

      Oi Katia,
      Obrigada pela visita aqui no blog ?! Adorei a sua mensagem e fico feliz que tenha gostado do post. Espero que você apareça por aqui em outubro, sem dúvidas vai curtir bastante essa esplêndida cidade! Abbraccio, Denya

      Reply

  3. 15 de abril de 2017 @ 13:07 izabel suzane philippe

    Eu e mais 5 amigos ‘seniors’ estamos querendo em julho de 2018 aproveitar o período de férias para fazer um curso de italiano daqueles de 2 semanas. Vamos escolher uma data que permita encerrar os a viagem com o show Do Bocelli. O que pensas sobre fazermos isso nas duas semanas finais de julho, estando a cidade lotadassa..moro em Florianópolis e nem sei sobre isso.. .de 26 de dez a 10 de janeiro aqui. Eu fico em casa…rsrsr ainda mais que moro numa praia.

    Reply

    • 19 de abril de 2017 @ 10:24 Denya Pandolfi

      Oi Izabel, esse periodo é bem quente e cheio… mas se quer aproveitar o show de Bocelli tem que ser nessa época. Venham sim, a cidade fica bem animada! Até pq são apenas 2 semanas e vcs vão tirar de letra. Ao menos virão preparados 😉 Beijo, Denya

      Reply

  4. 27 de março de 2018 @ 22:06 Solange

    Olá Denya,

    Sou a Sol e moro a quase 20 anos em Portugal. Concordo plenamente com tudo o que você diz sobre o turismo. Cá se passa a mesma coisa. Ano passado estive num voluntariado em Roma por um mês e simplesmente ADOREI, mas não pude deixar o meu lado de socióloga de lado e fazer as mesmas observações que você. Amo morar em Portugal, mas as questões turísticas que deveriam ser melhor estudadas pelas autoridades, nos deixam, as vezes, “chateada” como tu dizes. Ano que vem, tenciono ir por um mês e meio em investigação num instituto em Florença e um mês e meio em Bolonha. Espero ir numa época com menos turismo. Vamos ver! Enorme beijo e Parabéns pelo blog tão realista.

    Reply

    • 28 de março de 2018 @ 22:59 Denya Pandolfi

      Oi Sol, como vai? Você não pode imaginar como fiquei feliz com a tua mensagem e observações. É um assunto delicado e nem todo mundo compreende (ou não quer compreender). Obrigada pelo feedback. Favor me escrever quando estiver vindo para o instituo de Firenze. Forte abraço e tudo de bom, Denya

      Reply

  5. 12 de junho de 2018 @ 15:20 Grazie a te / A feira de moda masculina Pitti Uomo, agita Firenze

    […] Como é morar onde as pessoas passam férias […]

    Reply

  6. 23 de junho de 2018 @ 17:16 Grazie a te / O Calcio Storico Fiorentino, ou Futebol Histórico de Firenze, é outra paixão antiga dos florentinos

    […] Como é morar onde as pessoas passam férias […]

    Reply

  7. 18 de julho de 2018 @ 17:22 Grazie a te / Dicas de restaurantes em Firenze, 7 - Grazie a te

    […] Como é morar onde as pessoas passam férias […]

    Reply

  8. 15 de agosto de 2018 @ 20:50 Grazie a te / Opções para veganos e amantes da carne: dicas de restaurantes em Firenze

    […] Como é morar onde as pessoas passam férias […]

    Reply

  9. 6 de setembro de 2018 @ 22:08 Grazie a te / Comer pelas calçadas de Firenze pode gerar multas de até 500 euros

    […] Fato é que a cidade de Florença, como muitas cidades italianas, sofre com o grande assédio de turistas que nem sempre respeitam as regras.  Falo sobre isso neste post  como é morar onde as pessoas passam férias. […]

    Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.