DSC_0004

Perrengues de viagem

Fiz uma enquete através do meu Snapchat grazieateblog esta semana perguntando qual o maior perrengue de viagem que você já passou numa viagem ao exterior.

perrengues-viagem

 

E não tem jeito, por mais que a gente planeje, organize e programe tudo com antecedência e nos mínimos detalhes, imprevistos e percalços acontecem. E além das historias de viajantes,  vocês vão conferir também relatos de expatriados que passaram sufoco no exterior. Bem, pelo menos, tudo sempre terminou bem:

 

londrespravoce – a Tina mora em Londre há 24 anos e confessa que costumava dirigir mesmo após beber um pouco. Uma vez ela estava dirigindo e falando no celular quando estava indo buscar o marido, que na época era noivo, e foi parada por policiais.  Fizeram o teste do bafômetro e acusou que ela havia consumido álcool ( e ela tinha tomado uma dose de whisky). A colocaram no carro da polícia e a levaram para a delegacia. Ela ficou presa por 2 horas, até o noivo chegar. Ela foi fotografada segurando a plaquinha, ficou um ano sem dirigir, levou multa e ainda levou uma bronca do juiz.

juxbenetti bjj – A Juliana morou em Varese mas chegou a estudar um período em Firenze, fazendo o percurso de trem.  Na estação, voltando do curso, ela apresentou os bilhetes  de trem que estavam no i-Pad no momento de entrar do embarque. Mais tarde, quando estavam em outra cidade,  uma funcionária solicitou o bilhete mas o i-Pad estava descarregado. Ela foi ao banheiro tentar carregar mas não conseguiu localizar a confirmação do bilhete. A fiscal pediu que ela saísse do trem em Bolonha e chamou os policias (ela teve mais medo da funcionária que dos policiais). Depois de muito choro e desespero,  uma outra passageira, vendo a situação,  emprestou o celular para ela poder ligar para o avô, que havia comprado os bilhetes com cartão de credito, para ele informar o número do bilhete. Por causa disso ela nunca mais deixou de imprimir os bilhetes.

helorighetto – A primeira vez que os pais da Heloísa vieram visitá-la aqui na Europa eles resolveram foram para Berlim.  Devido a uma nevasca em Londres, os aeroportos foram fechados e o vôo de volta cancelado.  Daí precisaram remarcar por Paris e voltar de ônibus. No dia seguinte tentaram embarcar em Paris mas o aeroporto estava fechado por causa de nevasca e nos mandaram para Lyon. Chegando em Lyon não estavam preparados para acomodar todo mundo, estava demorando para conseguir remarcar a passagem.  Por incrível que pareça, no dia seguinte o vôo tinha sido cancelado e nem hotel eles tinham. Aí o Martin tomou providências e conseguiu resolver a questão da hospedagem e  remarcaram  a passagem para o dia seguinte e finalmente conseguiram embarcar. Voltaram  pra Londres 3 dias depois, e nem aproveitaram Lyon porque estavam todos tensos com esses imprevistos.

fkoetz – A Flávia mora em Seattle e tinha ido para o Hawai com mais  2 casais aproveitar as paradisíacas praias de Lanikai. O clima estava ótimo, com aquela brisa gostosa e ela nem se preocupou em colocar protetor.  No dia seguinte viu que estava toda vermelha e precisou ir para a emergencia do hospital devido às queimaduras. Ela nem teria se importado em pagar os 200 dólares do atendimento se tivesse podido curtir os outros dias. Ela passou 3 dias trancada no quarto e só após o 4 º dia ela saiu para curtir um pouco a piscina,  mas toda coberta, dos pés à cabeça!  Ela entrou no mar com blusa de manga comprida e meia.

catalogodeviagens– a capixaba Liliana chegou em Londres com (na época) o  namorado,  que tem cidadania alemã. Eles queriam se casar em Londres mas precisariam esperar 5 meses para dar entrada nos documentos. Exigiram muitas entrevistas, inclusive entrevistas individuais,  pois na época havia muito matrimônio por business na Inglaterra.  Ela tinha um período de 6 meses para se casar devido ao visto de permanência. Perto de vencer esse prazo, foram ao cartório mas como ainda ela não falava muito bem, precisava de intérprete na hora da entrevista individual. Quando ela viu que não ia conseguir, pois custava muito caro e não haviam tempo, sentou no chão e começou a chorar de desespero achando que jamais conseguiria. Foi quando apareceu uma enfermeira da Nova Zelândia oferecendo ajuda, em português, dizendo pra ela não se preocupar e que poderia ficar com ela o tempo que fosse necessário. Ela esperou 3 horas,  ajudou na tradução e tudo terminou bem.

kelypelomundo– Kely mora em Viena e quando foi passear em Amsterdam se encantou com uma orquídea azul. Ela teve a maior preocupação em levar a orquídea na mao no avião e sempre tomou o maior cidade. Depois que floriu de novo e nasceram flores brancas ela descobriu que era corante.

vivinaviagem – Vivi estava na Suíça viajando com uma amiga e pegaram um trem para uma cidade onde  tinha muita neve. Elas pegaram o trem errado mas não falavam inglês e não conseguiam se explicar. Devido  ao problema de comunicação, o fiscal não conseguia nem tirá-las do trem.tatimrqs –  Tati estava voltando para o Brasil, depois de férias na Disney com a família, num vôo que saía de Orlando,  via Atlanta. Mas devido à uma nevasca ouve atraso e quando chegaram em Atlanta não puderam embarcar. Eram mais de 100 passageiros que precisavam ser reacomodados. Como estava ficando tarde e os restaurantes no aeroporto estavam fechando, ela chamou mais umas 10 crianças e comer pizza enquanto os pais tentavam resolver. No 2 º dia voltaram ao aeroporto mas também não conseguiram voar . E o pior é que estavam sem as malas pois a bagagem havia sido despachada. Precisaram comprar tudo,  até roupa intima.  E eles precisavam voltar devido à compromissos profissionais do marido no Brasil.  Até que conseguiram adquirir 4 passagens para voltar.  Eles entraram contra a companhia, que não deu assistência e perdeu as bagagens, e acabaram ganhando a causa. Foram indenizados pela Delta com uma viagem à Portugal.

rodriguesmarla – Marla foi pra Suíça visitar a prima que estava estudando lá.  Só que a prima estava super atarefada com os estudos, aí  deu o carro pra ela, o cachorro e falou que ela podia rodar à vontade. Um dia ela foi parar numa estrada super estreita, que ia ficando cada vez mais estreita até conseguir passar apenas 1 carro e ela começou a se assustar. Mas  como estava com o GPS foi seguindo em frente. A tal estrada terminou  numa espécie de bosque onde tinham muitas árvores e do outro lado um precipício.  Ela precisou fazer uma manobra  que durou uns 20 minutos pra tentar virar o carro… e conseguiu por milagre. Depois disso voltou chorando de tanto aperto que passou. E depois contou pra minha prima que morreu de rir da aventura.

camilapicolli – Camila mora em Seattle e estava indo para o Brasil visitar a família.  Quando chegou no aeroporto estava a maior confusão e ficou sabendo que a American Airlines havia cancelado os vôos.  Decepcionada,  voltou pra casa para embarcar no dia seguinte. E devido à uma tempestade em Chicago seu vôo estava atrasado. Com toda aquela confusão, ela chegou a embarcar, depois desembarcou e quando chegou em Chicago havia perdido o (único) vôo diaria da companhia  para SP. Com o tumulto no aeroporto, pediu ao marido para conseguir hotel. Ele a orientou pedindo pra ir pro hotel e quando ela chegou lá não tinha apartamento disponível.  Passou a noite sem dormir. No desespero,  na manhã seguinte, pediu toalhas limpas e acabou usando o apartamento que nem havia sido arrumado. Ela tomou banho e às 6 da manhã foi pro aeroporto, sendo que o vôo so sairia à noite. Foram 3 dias de sufoco.comerecocar – o  perrengue da Dani foi em dezembro de 2013, quando viajava para a Itália com o marido e a sobrinha adolescente.  No 2º dia ela se acidentou esquiando.  Precisou passar 5 dias no hospital, pois colocou pino e placa. Por sorte estavam em Rimini, cidade do marido.  Foi muito angustiante, pois além da responsabilidade, ela estava num país que não era o dela. As férias bacanas que haviam planejado foram por água abaixo. Mas mesmo assim rodaram uma pouco , e foram até Roma, passeando empurrando a cadeira de rodas.

pollyana-paiva – Polyana viajou com uma amiga por 20 dias na Europa.  Escolheram fazer um trecho num trem noturno, saindo de Praga.  Ela colocou o despertador no horário que imaginou que precisavam descer. Só que não sabiam que esse trem era composto: tipo, metade ia pra Áustria e a outra metade para Moscou. Elas pegaram no sono, o despertador tocou bem depois e precisaram quase pular do trem para não irem parar em Moscou. Ela conta que essa viagem foi cheia de “emoções”

milaonasmaos – A aventura da Mage foi em 98, em Los Angeles. Elas chegaram na cidade e estava chovendo muito. Foram pra um albergue e como não tinham reserva, estava tudo cheio. Tinha um quarto para 8 pessoas, sendo que ja estava ocupado por 6 rapazes.  Ela conta que dormiu de roupa na mesma cama que a amiga.

lianabdaiha– a primeira viagem da Liana para a Europa foi meio traumática. Saíram de Salvador indo pra  Madri com parada em Lisboa, com a Tap. E depois iriam para Londres também. Em Lisboa anunciaram o nome dela e do marido e pediram para se apresentarem.  Ficaram parados na pista, no maior frio.  Depois apareceu a policia que os levou para o balcão da Tap. Um funcionaria disse que não haviam pago os bilhetes. E que descobrimos depois que a operadora havia cancelado não apenas o trecho de Lisboa a Madri, mas cancelou tudo, Foi uma estreia traumatica. Para se desculpar, a operadora os acomodou em classe executiva para o retorno.

larissakobay – Quando se mudou para Londres  passou  2 semanas em casa de família e depois começou a procurar casa pra morar.  E muitos brasileiros alugam quartos.Ela conheceu o Junior, goiano, e disse que ele não vale nada.  O combinado era que todas as despesas estavam incluídas. Um dia chegou um senhor cobrando a licença de TV. Ela passei todos os dados dela, documentos , etc, e avisei ao Junior, que ficou de arcar com o valor da licença.  Depois de um período  Larissa foi intimida pois o pagamento não havia sido feito.  O rapaz havia inclusive falado que tinha pago dando o número e quando  ela ligou para a empresa a atendente disse que aquele numero não correspondia. Ela pediu ajuda na Embaixada (e o rapaz já era conhecido por lá por outros golpes), pois era uma estudante e não podia pagar a despesa.  Ela e  roommate juntaram cada moeda para conseguir pagar  a licença.  No dia do julgamento conseguiu apresentar o recibo e se explicar, mesmo não falando muito bem inglês e com um promotor grosso. No final a juíza falou pra ela ter mais cuidado pois esse tipo de golpe era comum.

flaviapoggi – Em 2009 em Roma, fui com  2amigas . A minha tia deixou o loft pra gente.  Nos saímos e depois percebemos que não tinhamos o endereço. A gente sabia Somalia, mas não lembrávamos se era o bairro a rua. Fomos  ate a rua onde haviam indicado o numero de ônibus que podíamos pegar. Mas tinha A e B. Escolhemos no chute.  A um determinado momento a minha amiga viu um smart com adesivos de vaca e conseguimos identificar o lugar. Descemos correndo do ônibus morrendo de rir.

agendaberlim– a Nicole, que mora na Alemanha, conta que estava viajando com a minha mãe e avó e tínhamos vôo de Paris a Roma mas que havia sido cancelado. E devido à greve dos controladores de trem em Paris, nada de trem. Então resolveram alugar um carro de Paris até Roma,  sem GPS. Elas compraram um mapa e foram embora. So que imaginem entrar de carro em Roma, sem mapa e sem nada. Ela disse que foi uma aventura!

papiccin- O casal passou sufoco no Chile. Falaram que não precisavam levar dinheiro em espécie portanto não levaram muito , confiando nos cartoes de credito. Primeiro o cartão do mardi que começa a dar problema e depois o dela. Tentaram falar com o banco Santander, que não foi capaz de resolver. Souberam depois que era um problema com a Rede Plus.

dicasedestino -o Ricardo e a Lu, que moram em Madri,  uma vez saíram de casa, bateram a porta e esqueceram de tirar uma chave por dentro que impedia que entrassem em casa. Como estavam morando ali há pouco tempo não sabiam nem a quem recorrer.  A única solução era chamar um chaveiro 24 h. O rapaz conseguiu abrir a porta e sabem quanto cobrou? Módicos 240 euros. Pois é, prestador de serviço na Europa é super caro!

carinasdcosta–  Em 2003, quando a Carina voltava de Paris para Londres, onde fez intercâmbio,  desembarcou do Eurostar e tentou sacar dinheiro na estação, pois não tinha apenas 20 libras na carteira. O problema é que nenhum caixa eletrônico funcionava, pois domingo era dia de manutenção. E como era tarde não tinha nem mais transporte público.  A “mãe” inglesa estava na Escócia e ela não sabia o que fazer.  Teve a ideia de conversar com os taxistas mas a corrida até sua casa era caríssima. Antes de pensar em dormir na estação foi atrás do terceiro taxista que aceitou levá-la e mesmo sabendo que ela tinha apenas 20 libras ele disse pra ela não se preocupar. Era um senhor jamaicano que naquele dia foi o anjo que a salvou da dificuldade.

anaabate – Foi em Nova York, quando a cidade estava lotada e chegaram no hotel onde haviam reservado e não tinha vaga. Tinham outras pessoas na mesma situação, pelo saguão do hotel.  Ana ligou para a polícia que chegou a ir até o local mas depois que conversou com o recepcionista foi embora. Arrumaram um quarto pra ela, mas  no dia seguinte ela soube que era o quarto dos funcionários.  Depois disso a acomodaram numa suíte mas ela viu que muita gente continuava a dormir no saguão.

thatily– A primeira vez na Itália com o namorado e eles iam de Roma para Firenze. Antes, decidiram visitar o Coliseu. Quando voltaram para o estacionamento viram que haviam quebrado os vidros do carro e levado todas as 3 malas, documentos, computador. Foram ate a policia e depois ao shopping fazer compras. Como a cidade estava cheia, não conseguiram hotel.  Por fim conseguiram um que mais parecia um hospital, com as barras no banheiro. Devido a esse problema do roubo  acabaram ficando mais tempo em Roma.

maripelomundo – O sufoco da Mari foi na Argentina, para onde ela foi com mais 2 amigas para o casamento de outra amiga. Chegaram no hotel e viram que tinham secador mas o sufoco começou na hora de se arrumarem  porque só depois perceberam que tinha apenas 1 secador de cabelo para todo o hotel

vilmaloureiro – Vilma conta que essa viagem foi pura aventura. Ela e o marido resolveram viajar 5 dias antes, tudo de última hora. Saíram de Recife para Lima e uma das poucas coisas pré-determinada é que iram até o Ushuaia. Não tinham um roteiro muito definido, a cada cidade iam parando e ficando. Viajaram com apenas 2 mochilas nas costas e usavam as lavanderias dos hotéis.  No Chile, num percurso de ônibus entre Iquique e Antofagasta começou a ficar quente porque o ar estava quebrado e o vidro não abria. Quando começou a escurecer e no meio do deserto o ônibus parou. E não passava ninguém, estavam sem conseguir usar o celular e fazia muito calor. Até que o marido da Vilma pediu para ver o que podia estar acontecendo. Resultado: ele mesmo consertou uma corrente que estava quebrada. Graças a ele o ônibus partiu e conseguiram chegar ao destino. Tudo que ela queria era tomar um banho. Ela disse que topa qualquer aventura , mas precisa de um bom banho e uma cama limpinha pra dormir.

mairacw – Numa viagem com o marido em 2008 para a Europa, durante uma visita ao Castelo de Neuschwanstein (que serviu de inspiração ao Castelo da Cinderela), na Alemanha, onde o marido começA a sentir-se mal. Logo depois foi Maira que precisou pedir a guia para sair porque não tinha condições de continuar o passeio. Ela não sabe como o marido conseguiu seguir dirigindo ate Munique, onde estava acontecendo a Oktobert, mas não puderam aproveitar absoltamente nada. Eles acham que pegaram food poisoning.

destinoprovence–  Em 2014 a Natália estava viajando com o marido pelo norte europeu e o trecho da Suécia até a Finlândia era de barco. Antes de chegar em Helsinki ela colocou o despertador para tocar uma hora antes do horário de desembarque. Mas acordaram assustando com o capitão  já anunciando a chegada em Helsinki. Só depois eles lembraram que não tinham calculado a diferença de fuso de 1 hora. Pegaram tudo e saíram correndo quase do que jeito que acordaram para não perderem o desembarque.

lidi.albuquerq –  a Lidi disse que tem memória seletiva e não lembro de muitos perrengues. Mas contou uma situação que disse que foi chatinha. Ela foi no final do ano para Berlim,  e estava super frio. Como não havia levado secador, precisou usar o do hotel. Mas o secador era muito fraco e ficava desligando. Toda hora o secador parava e ela tinha que esperar uns 5 minutos para reiniciar.

vidadearquiteta – A furada de Thaís foi durante uma viagem pela Europa com o marido. No percurso de Amsterdam até a Itália resolveram fazer um trecho num trem noturno, imaginando que seria super romântico.  Mas não foi bem assim. No vagão em que estavam tinham muitos africanos vestidos com roupas coloridas e turbantes. E no meio daquele monte de homens, so ela de mulher. E para piorar, ninguém estava usando cueca. Até que um que estava sentado resolveu levantar a saia e com isso dava pra ver as partes íntimas. Com isso ela fez quase todo o trajeto do lado de fora e em pé. depois do ocorrido ela e o marido riram muito.

larrorex – Ainda antes de pensar em ser comissária, a Larissa passou 2 meses em Nova York. E no dia de voltar pro Brasil estava fazendo as últimas compras quando começou a se sentir mal no metrô. Estava estava com febre e precisava dormir. Com isso sobrou pouco tempo pra arrumar as malas, mesmo assim fez tudo correndo. Pegou um ônibus às 3 da manhã porque o vôo era bem cedo. Depois que embarcaram precisaram esperar 5 horas dentro do avião, pois não puderam decolar.  Perdi a minha conexão no Brasil para Brasilia. , perdi o ultimo voo de sP pra Brasilia. Me colocaram num hotelzinho e não tinha ningume para ajudar com as malas….. eu arrastava uma e depois voltava pra pegar a outra.

sylviagiordano–  eu nunca passei perrengue. Mas por trabalhar com turismo eu lido com os perrengues de outras pessoas, tipo quando os pais esquecem da autorização de um menor se somente um dos pais viaja, quando esquecem o passaporte ou quando tem cancelamento de vôo por nevascas.

Obrigada pela participação de todos vocês!!! 😉 

E você, já passou aperto durante suas viagens? Deixe aqui nos comentários. Bom final de semana!!!!

 

Compre aqui o seu bilhete e evite filas:

Clicando aqui você poderá adquirir  ingressos para as principais atrações de Firenze  sem impressão e sem filas

Posts que podem interessar:

Turistas pagam mais caro para consumir

20 atrações grátis em Firenze

Igreja de Santa Croce

Pratos típicos da Toscana

O conceito do slow travel

Agroturismo, uma forma simples e autêntica de hospedagem 

Cappella Brancacci e as obras de Masaccio

Refeições ao ar livre em Firenze

Mercado Central de Firenze

 

 

 

 

 



About

A minha paixão pela comunicação e pelo turismo é herança dos meus pais. Adoro viajar para observar e vivenciar as diversidades culturais. Depois que me formei em Jornalismo, passei longa temporada em Londres, um curto período nos Estados Unidos e atualmente vivo em Florença, com meu marido e nossos dois filhos. Desde 2005 sou retail na Ermenegildo Zegna. Busco sempre ver o lado positivo em todas as coisas e prefiro ter por perto aqueles que, como eu, dão mais valor às pessoas do que às coisas materiais.


'Perrengues de viagem' have 8 comments

  1. 17 de maio de 2016 @ 18:03 Camila

    Que legal, Denya! Muito bacana todas as histórias. Tem muita coisa engraçada aí, hein? Super beijo

    Reply

    • 18 de maio de 2016 @ 14:36 Denya Pandolfi

      Oi Camila, a gente viaja mas passa aperto de vez em quando, vero? Obrigada por participar, Beijoca e tudo de bom, Denya 😉

      Reply

  2. 20 de maio de 2016 @ 13:27 Alessandra Martins

    Ciao Denya
    Nossa., assim que li esse post me lembrei do que ocorreu na minha viagem a Itália
    Estava com meu namorado italiano em vernazza…no inverno….Janeiro desse ano.está época o mar Fica muito agitado e ela quis tirar fotos mais perto do mar…e eu fui atrás…um onda gigante veio e me derrubou….só não cai no mar porque ele conseguiu segurar a minha mão.estava superfrio e me milhão inteira….todo mundo olhando…um italiano local até ofereceu sua casa e roupas emprestadas. …mas meu namorado decidiu voltar para o quarto alugado…mas como tudo estava molhado…roupas., bolsa., documentos….tive que tentar me sacar com secador até a dona do apartamento aparecer e me expulsar naquele situação enxarcada e machucada….foi um perreguengue…meu celular nunca mais voltou a funcionar….minha vida estragou a meu passaporte ficou molhado assim como.meu dinheiro….pois todos estavam na bolsa durante o passeio….passado isso voltamos pra Firenze…mas no final passamos bem o resto da viagem…mas o susto foi grande….
    Bom em.resumo foi isso…
    Mesmo.com tudo….depois a viagem foi incrível…não vejo a hora e voltar
    Bjs

    Reply

    • 20 de maio de 2016 @ 19:16 Denya Pandolfi

      Oi Alessandra, imagino o sufoco. Pior è que foi perigoso, além também do risco de um resfriado. Pelo menos vocês aproveitaram o restante da viagem. OBrigada por participar. Beijos e ótimo final de semana , Denya

      Reply

  3. 20 de maio de 2016 @ 13:29 Alessandra Martins

    Desculpe os erros do corretor..

    Reply

  4. 20 de maio de 2016 @ 13:32 Alessandra Martins

    Pois tentei me secar…
    Minha bota estragou…
    Scusi

    Reply

  5. 27 de julho de 2017 @ 16:03 Luciana Bedim

    Na volta de uma viagem parava Itália minha irmã foi detida no aeroporto. Meu sobrinho comprou umas armas de brinquedo em Gardaland. Elas eram de ferro… ela foi levada de carro por dentro do aeroporto sozinha ( ela não fala nenhum outro idioma)mas conseguiu que a entendessem . Quando por fim, embarcou chorou de nervoso de Roma Lisboa.

    Reply

    • 1 de agosto de 2017 @ 19:32 Denya Pandolfi

      Oi Luciana, imagino o aperto que a tua irmã deve ter passado no aeroporto! Claro que isso causa muito estresse e desespero. Mas depois que passa, que coisa engraçada lembrar desses perrengues morrendo de rir, vero? Obrigada pela mensagem e um abraço, Denya

      Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.