unnamed-1

A Maremma toscana e a Costa Etrusca: mar, colinas e história

A Maremma, conhecida como o coração selvagem da Toscana,  permite aos visitantes de vivenciar experiências inesquecíveis através de suas cores, aromas do Mediterrâneo, história, arqueologia, arte, sabores e belezas do mar e montanha. Há diversas maneiras de aproveitar esse lindíssimo território, ao sul da região toscana: passeando por seus bosques, fazendo trilhas, degustando de sua gastronomia, curtindo dias em suas praias de águas cristalinas, visitando burgos medievais ou admirando sua natureza constituída de oliveiras e vinhedos.

 

populonia

populonia

A Costa Etrusca, na Maremma superior, inclui todo o território continental da província de Livorno, como os territórios de Piombino, San Vincenzo, Castagneto Carducci, Bibbona, Cecina, Rosignano Marittimo e Livorno, de norte a sul e cidades não litorâneas, como Collesalvetti, Sassetta, Suvereto e Campiglia Marittima.  Essa região é assim conhecida devido às numerosas necrópoles etruscas presentes principalmente entre o Golfo de Baratti e Populonia, que era a única cidade etrusca construída na faixa costeira.

maremma

Un mare di gusto, festa tradicional dedicada ao peixe azul –  Conheci a costa etrusca graças ao evento “Un Mare di Gusto – Palamita & Friends”, que acontece anualmente na cidade litorânea de San Vincenzo. Junto a outros  blogueiros e jornalistas visitamos algumas localidades proximas à San Vincenzo que constituem o Val di Cornia. Aliás, uma das vantagens em escolher essa região como destino é que este é um lindo território constituído de colinas, mar e  vilarejos cheios de história que ficam coladinhos uns aos outros, e cada  um com suas particularidades. A pesca nesse litoral é uma das atividades da região, que além de ser uma graça,  é também  produtora de vinho e azeite.

Un-Mare-di-Gusto

A linda e rica Costa Etrusca: perfeita harmonia entre terra e mar. A região, que compreende de Livorno a Piombino, é conhecida como Costa Etrusca devido à presença da população etrusca que povoou a região a partir do século 9 a.c.

A festa tradicional dedicada à Palamita (tipo de peixe da região) e ao peixe azul e à cultura enogastronômica acontece em San Vincenzo. O evento, organizado pela prefeitura com a direção artística de Deborah Corsi, conta com o envolvimento de toda a população, até mesmo das crianças, que preparam poesias e desenhos que são expostos no stand principal,  que fica na  piazza Unità d’Italia,  ponto de encontro e de partida para explorar a cidade.

san-vincenzo

Un Mare di Gusto – Durante o final de semana acontecem varias competições com jovens chefs promissores da Costa Toscana,  cooking shows e muitos laboratórios para as crianças. E no domingo à tarde é o tão esperado Percorso di Gusto, com diversos stands de degustação onde os restaurantes da região preparam suas especialidades à base da Palamita e do peixe azul. São diversos stands de comida, bebida e artesanato com produtos da região. Funciona da seguinte forma:  você adquire o passe que te dá direito a 7 degustações ao valor de 7 euros e o Calice pass no valor de 5 euros dá direito à 2 degustações de vinho.

 

un-mare-di-gusto

Domingo é o dia das degustações nos diversos stands onde os visitantes puderam experimentar muitas especialidades à base de Palamita e do Peixe Azul, ocasião para saborear novos pratos e receitas tradicionais

un-mare-di-gusto

palamita

Alguns restaurantes desenvolveram alguns pratos preparados com peixe para serem servidos durante a semana do evento. Aqui a Palamita tonnè preparado pela chef Deborah Corsi, do Perla del Mare

Jantar de boas-vindas – A festa começou na sexta-feira, quando foi apresentado o projeto que contou com a presença do prefeito da cidade, Alessandro Bandini. Depois seguimos para jantar no restaurante La Perla del Mare, de Deborah Corsi, que nos recebeu para  um maravilhoso jantar à base de peixe. O restaurante La Perla del Mare fica na Via della Meloria, 9.

Un-mare-di-gusto

Deborah Corsi, diretora artística do evento, em seu agradável e refinado restaurante na beira da praia

San Vincenzo, a anfitriã do evento

Com cerca de 7 mil habitantes, San Vincenzo, província de Livorno, é uma cidade hospitaleira do litoral da Toscana com 12 Km de litoral com lindas praias de areia branca e aguas límpidas e com grande área verde constituída de parques e bosques, oferecendo percursos naturias para os amantes de caminhadas e do turismo esportivo.

san-vincenzo

O Porto turístico de San Vincenzo, construído em 1967

DSC_0344

san-vincenzo

 

san-vincenzo

Campiglia Marittima

Na manhã de sábado fomos conhecer Campiglia Marittima, província de Livorno, um dos burgos da Costa Etrusca. Enquanto a gente percorre o caminho que dá acesso a Campiglia Marittima pode admirar as plantações de azeitonas e as pedreiras de mármore; inclusive o mármore branco daqui reveste o Campanille di Giotto e a fachada da igreja Santa Maria Novella de Firenze.

campeggia

As fachadas medievais que ganham o colorido das flores durante a primavera

Com cerca de 13 mil habitantes, o charmoso centro histórico fica sobre uma colina circundada por oliveiras seculares. Com ruas e becos estreitos, é dessas cidadezinhas medievais que nos fazem voltar no tempo.  O centro é constituído de construções medievais e com algumas bodegas alimentares, barzinhos e lojinhas de artesanato.  Em algumas paredes dos prédios mais antigos podemos encontrar  brasões das nobres famílias que já viveram na cidade.

campiglia

Campiglia-marittima

Piazza della Repubblica – Assim como muitos burgos da Toscana, Campiglia Marittima conserva muito da arquitetura medieval.

Após explorarmos o centro histórico em companhia de um guia fomos até a Pieve de San Giovanni, sobre as colinas do cemitério. Foi construída em 1173 no centro do camposanto, de onde temos uma vista deslumbrante!

Pieve-san-giovanni

Em estilo românico, a Pieve de San Giovanni data do século 12. Ao fundo a cidade de Campiglia Marittima

pieve

Prosseguindo nosso tour, fomos ao Parco Archeominerario de San Silvestro, onde pudemos visitar  uma mineira subterrânea.   No parque funciona também um museu. Após a visita à mineira fomos almoço no restaurante Blue Marlin (Via della Principessa, 137) com todos os pratos preparados à base de peixe.

 

extração-mineira

Pudemos visitar as mineiras antigas, desde a época dos etruscos com técnicas extrativas antigas e modernas

Suvereto

Após o almoço seguimos para Suvereto,  na Alta Maremma,  a poucos minutos de Campiglia Marittima, para um passeio guiado. Com forte tradição rural, Suvereto é um pequeno burgo medieval e um dos mais antigos da Val di Cornia, terra que produz vinho e azeite.

 

suvereto

Perto da porta que dà acesso à cidade fica a igreja românica de San Giusto, que terminou de ser construída em 1189. Atravessando a  Porta Principal ou “di Sotto” (de Baixo) , restaurada em  1857, a gente pode começar a explorar o vilarejo, que tem pouco mais de  3 mil habitantes.

suvereto

Parte das construções originais são muralhas do século 12 que circundam a cidade. Atmosfera de séculos passados…

Suvereto

chiostro-san-francesco

Uma das atrações da cidade é o Convento de São Francisco,do ano de 1286. Este espaço urbano que é dotado de excelente acústica é um dos mais cobiçados endereços para eventos culturais, sociais e enogastronômicos de Suvereto

 

Suvereto

Palazzo Comunale, do século 13, um dos mais significativos exemplos de arquitetura medieval da Maremma

Suvereto é um vilarejo tranquilo mas festeiro.  A cidade é palco da “Corsa delle Botti”, uma corrida com barris de vinho que anima as ruelas do burgo e acontece duas vezes por ano: no dia 3 de maio,  dia de Santa Croce, padroeira da cidade e sempre na véspera do feriado de Ferragosto.

rocca

O ponto mais alto do vilarejo é a Rocca Aldobrandesca, provavelmente do final do século 9, símbolo do passado medieval de Suvereto. Na fortaleza acontecem festas medievais com acampamentos e roupas de época

A gastronomia local é muito conhecida pelas carnes de caça, como o javali, que é base para preparação de muitos pratos da região. Uma das sagras mais antigas e conhecidas da Toscana acontece em Suvereto há 50 anos, a Sagra del Cinghiale, uma festa cultural e artística que movimenta a ciadade entre o final de novembro e início de dezembro.

Vinícola Petra

vinicola-petra

Arte e enologia – A cantina Petra, projeto moderno que evidencia a paisagem rural e a beleza da natureza nessa região, com mais de 300 hectares de plantações de oliveiras e vinhedos

Como estamos na terra do vinho e do azeite, não podíamos deixar de visitar a moderna Vinícola Petra, em Suvereto, localidade de San Lorenzo Alto, com sua moderna arena de mármore. De propriedade da família Moretti que produz vinho há 20 anos, é um maravilhoso e ousado projeto do arquiteto Mario Botta: uma estrutura contemporânea num cenário constituído pelas leves colinas da Val di Cornia.

Petra

Os vinhos são produzidos principalmente com uvas Sanvigiovese, Cabernet Sauvignon,  Merlot e Vermentino, Syrah e Alicante. As uvas de elevada qualidade são trabalhadas atingindo o melhor da tradição com técnicas e critérios modernos que resultam na criação de vinhos que possam refletir a personalidade da terra. As uvas descansam seja em tanques de aço  quando em barris de de madeira.

 

petra

Depois da visita à empresa participamos de uma degustação de 3 vinhos com um caprichado apetitivo preparado com produtos Km 0. A empresa produz também azeite de oliva extra-virgem. Tudo excelente!

 

No sábado à noite fomos recebidos para jantar no restaurante La Tuga,  que fica em excelente localização,  bem na orla da praia (Via Trento, 119), com ambiente elegante e com staff cordial e simpático.

Tuga

O restaurante do chef Nicola Ricci, inaugurado há poucos meses, oferece pratos preparados com ingredientes de qualidade onde a gente percebe o capricho e carinho também no momento da apresentação

Parque de Baratti e Populonia

Na manhã de domingo fizemos um passeio pelo Parque Arqueológico de Baratti e Populonia e  se estende no Golfo di Baratti e Populonia. O parque abrange uma área de 80 hectares, com tumbas e edificações etruscas e romanas.

populonia

As construções etruscas eram geralmente realizadas em madeira e tijolo

 

Terra do ferro e dos metais, Populonia é a única cidade etrusca que se debruça sobre o mar. A cidade teve um papel importante internacionalmente na comercialização do ferro e de minerais.

populonia-toscana

Populonia é uma antiga cidade de origem etrusca, situada sobre uma colina circundada pelo mar, no Golfo de Baratti

O Castello di Populonia é um pequeno burgo medieval construído no século 15  pelos etruscos sobre uma colina, ao redor da antiga torre, que é do século 12. Nas redondezas do castelo  desenvolveu-se a cidade de Populonia Alta.

 

populonia

castello-di-populonia

A vista do alto do Castello de Populonia

populonia

A igreja de Santa Croce, do século 14

populonia

 

populonia

O vilarejo é minúsculo e o que impressiona é que conta com apenas cerca de 20 habitantes. Aqui a rua principal, com algumas bodegas e lojinhas de artesanato

 

Após o tour à Populonia, almoço na vinícola Poggio Rosso, que fica nas imediações do Glamping onde me hospedei e que pertence à família Monelli, que desde 2002 dedica-se à produção de vinhos. Os vinhedos cultivados são de uvas Merlot, Sangiovese, Vermentino, Cabernet Sauvignon e Viogner.

un-mare-di-gusto

Com Camilla, Kathleen, Carlotta e Silvia

 

comida-italiana

O nosso light lunch com delícias toscanas preparadas pela senhora Edi Monelli

toscana

 

Hospedagem – Fiquei hospedada no Glamping Poggiorosso. Esta seria a minha primeira experiência em uma estrutura do tipo e estava super empolgada com a ideia! Glamping é uma nova forma de hospedagem que vem conquistando adeptos em muitos países do mundo. Significa camping com glamour. Estrutura elegante, muito charme, conforto e riqueza em detalhes.  Feitas com materiais ecossustentavies, as barracas são produzidas por uma empresa holandesa. São espaçosas e resistentes, com estruturas fixas de madeira, com ambiente climatizado,  Wi-fi, banheiro com duchas com jato hidromassagem e cozinha toda equipada. A sensação é de estar numa luxuosa casinha na árvore!

glamping

Acomodações ecofriendly num ambiente tranquilo e em contato direto com a natureza, com vinhedos e oliveiras nas proximidades. Toda a tenda era equipada com móveis de madeira e a decoração é de muito bom gosto, charme e requinte

 

glamping

Mimos de boas-vindas. Este é o quarto de casal. A nossa barraca era de 2 quartos, com banheiro, cozinha e varanda. As paredes internas são de madeira

 

poggiorosso

No Poggiorosso são disponíveis no momento 10 barracas, todas circundadas de árvores e com bem cuidado jardim que atende a cada uma das acomodações

 

Como chegar:

Carro – Sugiro alugar um carro para visitar a região pois as cidades ficam muito próximas umas às outras e e é sempre bom poder parar nas localidades que mais chamam a atenção. A paisagem é bucólica e linda!

Trem- O trajeto de Firenze até San Vincenzo dura cerca de 2 horas e meia.  Valor do bilhete € 13,50 com Trenitalia

Distâncias:

139 Km – Firenze

43 Km- Massa Marittima

66 Km – Volterra

88 Km – Pisa

49 Km – Castiglione della Pescaia

 

Participei do evento Un Mare del Gusto à convite da Prefeitura de San Vincenzo. Todas as refeições foram oferecidas pelos estabelecimentos citados, assim como a hospedagem. O meu relato é resultado de minha experiência e minhas observações pessoais, sem nenhum vínculo editorial. O meu muito obrigada aos organizadores e promotores do evento.

 

Posts que podem interessar:

O que visitar em 2 dias em Firenze

Pitigliano, na Maremma toscana

San Galgano

Pratos típicos da Toscana

Como é feito o azeite de oliva

Top 5 de Florença

Qual a melhor epoca do ano para visitar a Italia?

Vida na Itália

Casamento na Itália

Viajar de trem

Menu do dia- dicas para não gastar muito

Aperitivo, happy-hour à italiana



About

A minha paixão pela comunicação e pelo turismo é herança dos meus pais. Adoro viajar para observar e vivenciar as diversidades culturais. Depois que me formei em Jornalismo, passei longa temporada em Londres, um curto período nos Estados Unidos e atualmente vivo em Florença, com meu marido e nossos dois filhos. Desde 2005 sou retail na Ermenegildo Zegna. Busco sempre ver o lado positivo em todas as coisas e prefiro ter por perto aqueles que, como eu, dão mais valor às pessoas do que às coisas materiais.


'A Maremma toscana e a Costa Etrusca: mar, colinas e história' has no comments

Be the first to comment this post!

Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.